Desligue o "foda-se". E comece a se importar

Em algum momento da vida te ensinaram a “ligar o foda-se”. Talvez tenha sido na adolescência, como uma forma de começar a expressar sua liberdade.

Talvez mais recentemente, como uma maneira de se libertar das crenças limitantes e do peso da opinião dos outros.

Todo mundo em algum momento aprende a acionar esse botão.

O problema é que criamos uma sociedade que vive com esse botão ligado e parou de se importar com o outro.

Nos ensinaram a acionar esse botão. Mas quem nos ensinou a desligar?

Como tudo que você liga, uma hora precisa desligar.
Desligar o “foda-se” e começar a se importar.

Faz parte do nosso processo de amadurecimento, sairmos do EU para pensarmos como NÓS.

O EU precisa “ligar o foda-se” para poder se individualizar. Mas depois do processo de individualização, a expansão da consciência nos direciona para o pensamento coletivo. Entedermos que não somos EUs sozinhos, isolados e separados, mas fazemos parte de um grande NÓS.

E para acessarmos a consciência do NÓS, para realmente nos percebermos como partes do todo, precisamos desligar esse botão que nos faz desconsiderar os outros.

Considere os sentimentos dos outros. Importe-se com o que o seu comportamento causa nas outras pessoas. Sinta a dor de quem sofre o que você não sofre. Compreenda o que o outro está tentando te dizer.

Essa pode ser uma ponte para a verdadeira compaixão.
E de um lugar de mestria, você considera, se importa e escolhe agir, sem perder sua liberdade.

Desligue o “foda-se”.
E comece a se importar.

Gustavo Tanaka

gustavotanaka.com.br